quinta-feira, 26 de janeiro de 2012



Garoa


As palavras caem sobre mim
Como a garoa de um dia frio
Dormem sobre o livro aberto da vida
As curtas palavras, porém sofridas
Nascem das gotas e tornam-se rios
Que me leva em sua correnteza sem fim...

Levando tudo o que deveras sou
O fígado, os rins e os pulmões
As artérias, a pele e as emoções...
Feridas existentes em um cérebro cansado
Alternando-me para um outro estado
Cambaleando por onde eu  vou

Me torno parte integrante da obra
Sou o principal, não o que sobra
Moldo meus pensamentos no que acho certo
Todas as palavras entrando em minha mente
Após meses, sinto-me renovado!
Disposto a parar o que fui, tornando-me melhor!

Minhas palavras, meu remédio
Um 'ex-papel-branco' que vira poesia
Uma 'ex-vida-depressiva' que se torna alegria
Com todas as suas rimas feitas...
Denominem-me como quiserem.


(S. L. Schiapim)

"Tive que parar de escrever por um tempo, estava tudo muito repetitivo... Nessa pausa fiz questão de ler outras coisas, gostar de outras coisas... Enfim, me renovei.
Espero que a leitura de outros temas agradem a vossa leitura..."








3 comentários:

A.L.P. disse...

Incrível como palavras vem do nada e vão do mesmo modo... Amei! <3
Abraços de sua fã! xD
Bjs :*

Adriana Helena disse...

Olá querido...
Como você estava sumido, mas voltou em alto estilo!
Eu compreendo sua atitude: muitas vezes precisamos nos recolher, ler coisas diferentes, buscar novas opções para a inspiração voltar com mais força!!
Foi o que aconteceu com você:seu poema está leve,solto!!PARABÉNS!!
Um beijo!!!

Carla Reichert disse...

Também ando sentindo essa vontade de renovação...não é um processo fácil.
Ando querendo escrever coisas diferentes...mas descobri em mim uma vontade de ter pseudônimo...sem querer me identificar...p isso só mesmo um outro blog...outra identificação. Ando sentindo uma prisão das minhas palavras e queria ser livre, até p escrever. Lembrei de Fernando Pessoa...rsrsrs
Acho ótima sua transformação, mas sempre há traços de quem escreve que são inconfundíveis, um estilo muito próprio de cada um. Mesmo assim...o vocabulário extenso e a sua boa escrita superam tua própria poesia.
Beijos meu amigo!

Postar um comentário