quarta-feira, 3 de outubro de 2012


Respiração


Respiro, a aflição de cada palavra
Quando toca a folha, errando as linhas...
Prisioneira de um escritor ruim.
Sou um respeitador da forma escrita
Transformando a letra que está descontente
Numa frase impactante.

Sou a saudade de uma inspiração
Mesclando a incerteza de encontra-la
Lembrar de um anjo avistando seu amigo
Perguntando: Porque foi que descestes?
O imenso sorriso de um sol poente
Quando está para contornar o seu abrigo.

Ouço as sirenes de emergência
Por não escutar mais a batida
Repouso meus ouvidos numa folha
Não sentindo a frequência cardíaca
Que antes era peculiar
Em cada verso, em cada estrofe e em cada vírgula.

Descontente, o sol nascente se apresenta
Sem eu ter escrito algo novo
De mais um dia improdutivo fui vítima
Mas as sensações quotidianas me lembram
A beleza das coisas todas
Quando o estar vivo é bem mais que respirar.


- Sérgio Schiapim







2 comentários:

Tassyane Nunes disse...

Estar vivo é bem mais que respirar. Lindo poema!

Denise Medeiros disse...

"Sou a saudade de uma inspiração..."
E isso sou eu.
Me encontrar no que você escreve é tão lindo!

Postar um comentário