segunda-feira, 18 de junho de 2012




Desconfiança Ininterrupta


Apago as cores naturais de seu rosto,
Cancelo seu ritmo cardíaco,
Cito algo verídico,
Adicionando uma pitada de desgosto!


Apago algumas frases,
Assopro meu papel amarelado...
Transformo todos os enlaces
Em um único dízimo agregado.


Viajando entre as verdades absolutas,
Esquecendo que tudo é mutável.
Desconfiança ininterrupta e seu corte...

Perpetuamente escravo das lutas,
Ignorando tudo o que é questionável...
Meus sonhos sofreram essa morte!


- Sérgio Schiapim








2 comentários:

loira sim burra não disse...

Serginho meu querido,
Eu fico impressionada cada vez que venho ate aqui porque você escreve tão bem, consegue expressar o sentimento em palavras e ai eu me pergunto, quando vc vai escrever um livro??
Parabens meu querido mais uma maravilha.
Bjsssssssss

A.L.P. disse...

Perfeito! Muito... inspirador. Hoje eu ouvi uma frase de um amigo no qual dizia que a primeira virtude do homem é a dúvida. Eu discordo. Pois como vc diz no texto; quantos sonhos morreram por que nós duvidamos de nunca se tornarem reais? Cadê a nossa confiança no futuro e em nós para realizá-lo? Não há nada mais, apenas palavras de (des)encorajamento...
Parabéns pelo texto Gio! *-* sempre mto bom! *-* Serei sempre sua fã ;)
Bjs :*

Postar um comentário