domingo, 24 de julho de 2011



Cura


A absorção da dor escura.
A morte da insana raiva que cegava.
A expulsão do demônio que acompanhava
Os meus passos... Em suma: A Cura!

Vítima sem cor, de avançado estiolamento...
Sozinho, escrevia, escrevia e escrevo...
Toda a falta de esperança que em mim jazia,
A morte entoar mais simples que a vida!

Um verão sem o arder do sol,
Outro outono sem ver folhas caírem...
Amareladas ou desbotadas? Não sabia...
Meu ser não caía pois mal se erguia.

De minha agonia surgiram bons escritos,
Boas palavras empregadas,
Na folha em mim congregada,
Escritos com dor, ódio e medo.

Hoje, sem todo esse fardo,
Com uma leveza e calor de espírito...
Me encontro com um atordoamento lírico
E de ruins sentimentos, farto.

Sem pranto, porém alegre.
Sem dor, porém sentindo...
De verdade, talvez mentindo...
Qualquer palavra serve!

Mas de meus sentimentos declaro unicidade...
Falo somente de um, apenas um:
Que em minha existência não é comum
Esse curto momento chamado Felicidade.


(S. L. Schiapim)

'- Uma postagem um tanto pessoal,
pensei muito se iria mesmo postar isso...
Mas aí está.'

4 comentários:

Gabriel F. disse...

"De minha agonia surgiram bons escritos,
Boas palavras empregadas,
Na folha em mim congregada,
Escritos com dor, ódio e medo."

Sabe, perdi a conta de quantas vezes eu escrevi com esses sentimentos. E geralmente eles ficam bons. É interessante pensar que de momentos de dor e sofrimento conseguimos tirar textos mais brilhantes que aqueles feitos com felicidade. Gostei bastante.

Gio, Infinitivo Perpétuo. disse...

Isso é verdade, acho que quando o sentimento é

negativo ele se prolifera mais rápido e é mais

intenso. Fico feliz que tenha gostado.

Cintia disse...

Adorei!Consegui ter boas sensações, consegui sentir que seus pensamentos estavam brilhando, vibrando numa boa frequência quando expôs suas palavras,você conseguiu iluminar meus pensamentos, num momento perfeito que eu precisava, me trouxe paz. Sabe aquele tipo de poema que você sempre quer ler pra te dar alegria? É esse, o seu! Parabéns!

Gio, Infinitivo Perpétuo. disse...

Seus comentários são tudo o que preciso ler

para que meu dia tenha sentido...

e é por essas razões listadas por você

que eu escrevo. Obrigado.

Postar um comentário