segunda-feira, 26 de setembro de 2011




Desânimo


Escrevo todos os meus erros em minha pele
Os enquadro com letras garrafais
Perpendicular, unilaterais
Marcados pelos dedos que sua mente repele

Faço em pedaços o espelho, com um leve contato
Entrelaçam-se perfeitamente após o corte
Os cacos e o sangue da minha sorte
De meus pensamentos não surgem os fatos

Fisiogenia estagnada em uniformidade
Vivo, porém acostumado com calamidades
Perdido entre o plural e o singular

Singelo, medonho e resignado
Correndo, caminhando ou parado
Sem objetivo para continuar...


(S. L. Schiapim)

" - Escrito brincando com palavras... 
Feito em poucos minutos.
Notável a falta de capricho!"




4 comentários:

A.L.P. disse...

KKK' Ainda acho coincidência não ter gostado dos versos que você gostou... Contudo, ótimo texto, versos, rimas... *-* I'm your fan number 1! :P

Carla disse...

Se foi escrito brincando, impressiona a facilidade com que consegue escrever, como se tocasse um instrumento. As notas vão saindo!!!
Mais um poema maravilhoso!!!
Devo confessar que eu mesma já escrevi com esses ardor todo. Mas, sinto que essa coisa assusta um pouco, a coisa de mostrar, mas quem escreve sempre é uma incógnita...
Parabéns!

Adriana Helena disse...

Olá querido!
Me desculpe o atraso em vir me deliciar com sua nova obra! Igualmente maravilhosa, dentro do tema que você se propôs a escrever, o desânimo...Já te falei que o talento para a escrita é inerente ao seu ser!!! Brota naturalmente... Entretanto, te quero escrevendo coisas para cima, que levantem o astral! Mas mesmo assim tão mórbido, seu poema está lindo! Parabéns!!!

Vanessa T. Santos disse...

Sua "falta de capricho" me assusta!
Como sempre está perfeito...
Palavras desencontradas que dão sentido ;-)

Postar um comentário